Carreira, Renda Extra
Comentários 3

O que podemos aprender com trabalhos alternativos: uma experiência no Airbnb

Sabemos que inúmeros profissionais estão enfrentando uma situação bastante desagradável no momento: o desemprego. Nesse contexto, alguns passam de meses a anos sem conseguir um trabalho com vínculo empregatício comprovado na carteira. Com isso, as contas começam a “raspar” aquele suado dinheirinho guardado na poupança enquanto não se encontra outro emprego.

No intuito de escapar dessa situação, algumas pessoas estão recorrendo a situações alternativas como meio de fazer uma graninha extra. Nessa linha, resolvemos colocar um quarto de nosso apartamento para alugar no Airbnb.

O Airbnb é um serviço cuja proposta é o compartilhamento. A plataforma permite que anfitriões possam receber, mediante pagamento de uma quantia estabelecida por eles mesmos, hóspedes em suas casas/apartamentos. Você pode alugar o espaço inteiro sem ficar no local, ou alugar um quarto (ou o sofá de sua sala), nesse caso terá muito mais contato com os hóspedes durante a estadia. O serviço não só possibilita que possamos conhecer outras pessoas, de diferentes cidades, estados e países, como também nos permite desenvolver, ou melhorar, certas habilidades profissionais.

A experiência não deveria ser medida só pelas atividades exercidas oficialmente pelo profissional, mas também pelas habilidades desenvolvidas por ele no exercício de empregos alternativos, assim como sua capacidade de iniciativa para lidar com situações difíceis, e essa experiência é adquirida em boa parte na vida pessoal.

Quando colocamos o quarto para alugar aqui, não esperávamos que fosse dar tão certo, mas devido a nossa esplêndida localização, muito próxima a uma grande universidade, a iniciativa tem rendido bons retornos. Além de conseguirmos uma ótima ajuda para as despesas do apartamento (condomínio, luz, gás…), a empreitada tem se mostrado como um excelente aprendizado sobre gestão e atendimento e está fazendo com que eu aprenda mais sobre mim.

Mas como assim? Simples, eu atuo como co-anfitriã, mas acabo exercendo as mesmas atividades que o anfitrião, meu companheiro. Eu respondo as mensagens dos hóspedes, geralmente sou eu quem os recebe quando eles chegam, eu providencio tudo para que o apartamento esteja impecável (limpeza, organização, suprimento de materiais de higiene) para acolher os hóspedes, e eu acabo sendo a responsável pela lavagem das roupas de cama e toalhas de banho na saída, assim como toda a manutenção pós-hospedagem.

Tenho responsabilidades e levo essa tarefa muito a sério, minha preocupação é a satisfação total de nossos hóspedes. Procuro fazer tudo para que se sintam em casa, pois essa é outra proposta da plataforma, que você sinta que vive no local, não é só uma hospedagem, é uma experiência.

Aqui em casa eu sou uma gestora de Airbnb, e isso me deu experiência em tarefas como liderança de equipes (minha equipe é meu companheiro, e eventualmente meus pais que já ficaram no apartamento para receber hóspedes também), assistente administrativo, coordenadora de suprimentos, recepcionista, analista de sac e serviços gerais. E claro, tem a parte do marketing e da criatividade para destacar seu anúncio em meio a tantos outros.

Então acredito firmemente que podemos aprender, e muito, em “empregos alternativos”, desde que estejamos dispostos a nos empenhar e levar nossas responsabilidades tão a sério quanto levaríamos se fosse “um emprego de verdade”, digo, oficializado na carteira de trabalho.

Minha carreira no Airbnb é algo que pretendo conciliar assim que assumir outras responsabilidades, afinal, eu sou mesmo multitarefa, a maioria das mulheres é, mas infelizmente nem todo empregador reconhece essas habilidades e ainda nos veem como o tal do “sexo frágil”, mas a realidade é que damos conta sim.

O que eu quero dizer com esse artigo, é que o importante é se reinventar em tempo de crise, busque algo em que você é realmente bom e faça isso, e continue fazendo enquanto essa atividade te trouxer prazer e reconhecimento. A minha maior recompensa foi receber pelo correio um presente de duas hóspedes queridas, as quais se hospedaram conosco durante 4 noites. Aquilo me emocionou de um jeito que eu jamais havia sentido, eu me senti reconhecida, senti que estava fazendo um bom trabalho. E essa sensação é o que te faz buscar a excelência, é o que te motiva a dar cada vez o melhor de si mesmo, e é o que deveria ser pregado em todas as empresas.

Uma vez meu pai me disse que “esposa feliz = marido feliz”, gostaria de complementar dizendo que isso pode ser aplicado no contexto empresarial, gerando a equivalência “funcionário feliz = empresa feliz/cliente feliz”. E essa fórmula deixa as empresas no caminho da prosperidade e do sucesso.

Então eu queria acrescentar às minhas qualificações aprimoradas nessa experiência Airbnb: a automotivação. Benditas empresas que nos dão a oportunidade de nos desenvolvermos profissionalmente enquanto pagamos nossas contas, ainda que sem vínculos.

Hoje meu conselho é simples: aprenda com suas tarefas e permita-se aventurar em empregos alternativos.

O período de desemprego deve ser visto também como uma oportunidade de desenvolver e/ou aprimorar suas habilidades, e isso não precisa ser feito apenas fazendo cursos ou altos investimentos financeiros em si mesmo (o que é importante, mas nem sempre viável economicamente para quem está desempregado), então seja criativo, busque alternativas e aprenda com elas.

3 comentários

  1. Pingback: Como sobreviver a uma noite no aeroporto: dicas para quem precisa esperar muito tempo pelo próximo voo. | Diários da Kah

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s